Portugal Campeão do Mundo de Columbofilia 2018

Francisco Ramalho – Presidente da ACD Évora faz um balanço destes últimos anos…

Caríssimos columbofilos, bom dia… espero encontra-los e às vossas famílias de boa saúde. O Columbofilia Online rumou a Terena, uma freguesia portuguesa do município de Alandroal. Tem o nome alternativo de São Pedro, sendo por vezes também lembrada por São Pedro de Terena. Fomos ao encontro de Francisco Ramalho, presidente da Associação columbófila do distrito de Évora. Columbófilo desde 2002. Actualmente estás preste a finalizar o seu mandato e chegou a hora de se dirigir aos columbofilos que comandou durante os últimos anos. Algumas palavras sentidas serão dirigidas para os columbofilos das 15 colectividades activas, 16 com o clube de fundo. Neste distrito e durante os últimos 4 anos apenas fechou uma colectividade, tem-se mantido sensivelmente o mesmo numero de pombos enviados e tem-se notado o aumento de equipas e de columbofilos a juntarem-se em sociedades, por forma a minimizarem esforços e custos. A juventude também tem aparecido e podemos dar o exemplo do clube Padre Manuel Lima que tem aumentado o numero de sócios de forma exponencial e curiosamente muitos, muitos jovens.

Pombal de Competição 1

Iniciamos a nossa conversa do interior da sua casa… um lar construído a pulso pelo nosso entrevistado e que por sinal está de um bom gosto enorme. Mas como a nossa paixão são mesmo os pombos sentimos necessidade de entrar dentro dos pombais e assim terminámos a tarde a apanhar e manusear pombos. Acreditamos que tenham sido tempos difíceis estes últimos anos na vida do presidente, ora vejamos… apesar de uma enorme experiência como dirigente na colectividade local a ida para uma associação é um salto enorme, depois a construção do seu lar que estava no seu principio e o Francisco como pedreiro, fazia o horário de trabalho em casa alheia e depois aos serões e fins de semana foi fazendo a sua própria casa…ainda construiu um pombal e conseguiu levar ate ao fim o seu mandato… que tem sido muito muito duro…em virtude do elenco ter sofrido algumas baixas e ele ter assumido as diversas funções… parabéns pela coragem… Alguns elementos que inicialmente fizeram parte da lista vencedora, nunca chegaram a assumir funções, outros desistiram quando começou o aperto e em outros casos ainda houve motivos de força maior que obrigaram à própria desistência da columbofilia e ai é justificado. Quanto ao Francisco recusa-se a deitar a toalha ao chão e será resiliente o suficiente para terminar o mandato.

Corredor frontal da secção do pombal de competição 1

O presidente Francisco disse-nos que a sua jornada à frente da associação tem sido boa, embora com alguns momentos difíceis, este trajecto iniciou-se em 2017 e veio ate ao corrente ano. Actualmente conta com 35 primaveras e em diversas ocasiões tem sido apelidado de rapaz… mas caros leitores… rapazes hoje em dia vivem em casa dos pais ate quase aos 40 anos, não têm responsabilidades familiares ou financeiras…o Francisco tem uma família a seu cargo, meninos pequenos, uma casa e um lar por si construído como se de um monte alentejano se tratasse, junto à localidade e nunca virou costas a responsabilidades nem ao trabalho…afirma perentoriamente que pode fazer coisas mal feitas, ninguém é perfeito, e no seu caso quando lhe acontece nunca é por falta de esforço ou dedicação ou querer o melhor para todos… poderá é não ter a capacidade para responder a todas as solicitações.

Secção de machos voadores – Pombal 1

Os pontos baixos da sua liderança assentam em duas situações pouco conseguidas, uma podia ter sido evitada, que foi a alteração de um local de solta de um concurso em cima do acontecimento que acabou por dar em processo no tribunal que trouxe inúmeras preocupações na resolução e a outra foi muito dura de engolir, num concurso de fundo no qual o distrito sofreu percas acima dos 50%, realizado em 20 Janeiro de 2019. Quanto ao resto do mandato as coisas foram positivas e até os erros serviram para aprendizagem e contribuíram para no futuro se decidir melhor. Inicialmente era mais fácil o elenco que entrou estava coeso e com muitos elementos a trabalhar, mas com o avançar das campanhas os afazeres cada vez mais ficaram concentrados num numero reduzido de dirigentes. Não tinham um projecto consolidado quando iniciaram funções…a entrada deste grupo foi caricata…a anterior direcção já estava a fazer o seu trabalho fazia bastante tempo, e sentiram necessidade de sair e assembleia Geral após assembleia não se reuniam as condições para nova liderança e perante tal ausência de poder sentiram obrigação de formar este grupo… em poucos dias tudo estava alinhavado…muita gente nova e alguns inexperientes, mas assumiram as responsabilidade. Aquando das eleições ainda surgiu um novo grupo de columbofilos que manifestaram interesse em ocupar funções, mas algumas irregularidades na formação do grupo ditou o seu afastamento das urnas e assim começou esta aventura.

Secção de fêmeas voadoras – Pombal 1

A inexperiência do grupo tem sido colmatada com a preciosa ajuda de António Pessoa, a quem esta direcção agradece efusivamente todo o empenho e dedicação deste grande homem e columbofilo do distrito de Évora para com a columbofilia. Uma coisa eram estes jovens e no caso de Francisco Ramalho que era presidente em Terena , fazia classificações e ainda tratava da parte financeira, mas chegar a uma associação o passo é diferente e a ajuda e experiência do António Pessoa foi decisiva para conseguirem concluir o mandato e fazerem algumas coisas boas pelo distrito. Podemos salientar o trabalho deste grupo feito junto dos columbofilos com mais dificuldades, que viram a vidas alteradas com o Covid 19 e a situação financeira abalada e muitos a própria saúde debilitada e esta equipa em plena Pandemia conseguiu ir acudindo a estas situações chegando mesmo a aceitar em plena campanha desistências, mesmo que isso implicasse um rombo importante na gestão da associação… um dia estamos bem e no dia seguinte tudo se pode alterar e temos de ser lideres o suficiente para algumas vezes ter coragem para dar um passo atrás para depois poder dar dois em frente.

Pombal de Competição 2

Varias coisas importante aconteceram neste mandato, nomeadamente a parte da comunicação com os columbofilos sofreu enormes melhorias. Os columbofilos passaram a receber atempadamente e todos à mesma hora, todas e quais-queres alterações nas soltas e horários de libertação… antes isso não acontecia. Já este ano foi criado o campeonato do Pombo Ás yearlings… dirigido a todos os pombos com anilha de 2020, e para participarem aos columbofilos basta terem inscrito ao campeonato regular de yearlings e sem mais custos ficam automaticamente inscritos neste novo campeonato. Os carros para as soltas, quando iniciaram este caminho estavam todos capacitados e em excelentes condições, possuem um tractor, duas galeras e um camião completo, claro que agora passou algum tempo e foi necessário acudir pontualmente a algumas situações de reparação e agora ultimamente sentem a necessidade de algumas pinturas.. Quanto à parte informática houve necessidade de repor maquinas novas e foi feito recentemente um investimento nessa matéria. Financeiramente estavam bem e continuam bem.

Corredor frontal do pombal de competição 2

Para o Futuro ainda existem algumas ideias que até são fáceis de levar a cabo diz nos o Francisco. Custará certamente a alguns columbofilos, mas será a bem da verdade desportiva e terá de ser feito e que seja feito mais cedo do que tarde. É necessário passar a haver concentrações nomeadamente dois pontos de recolha um para cada zona e as colectividades deverão deslocar-se para ai entregarem os pombos, a situação já foi analisada e parecem ser pontos centrais por exemplo na zona Oeste Arraiolos e na Zona Este o Redondo. Os columbofilos do distrito caíram no habito de deixar os pombos nas colectividades, aguardarem pelo carro e ai carregarem as caixas e depois seguirem para casa… mas estamos a esquecer de uma coisa muito importante, os carros desde que começam a circular ate saírem do distrito demoram 4 horas por cada zona, ou seja os primeiros pombos a serem apanhados estão 4 horas a mais dentro de caixas… e num dia de calor isso faz toda a diferença no dia seguinte nas marcações… temos de evoluir para a igualdade entre todos e para oportunidades iguais… é verdade que muitas colectividades podem não ter neste momento um carro disponível para esse efeito, mas se os outros distritos conseguiram nós também conseguimos e vamos resolvendo caso a caso ate todos estarem resolvidos. Outra dificuldade destas recolhas são os motoristas e o encargo financeiro, porque por exemplo para fazer um concurso curto de meio fundo demoram pouco menos 5 horas a chegar ao local de solta, mas os motoristas já têm 4 horas a conduzir, e a lei exige paragens e descanso a quem conduz e muito bem… quase que esgotam o horário possível os dois que conduzem e depois há que parar, fazer descansos e isso implicará chegar a horas menos boas para os pombos também descansarem… isto não aconteceria com as concentrações. Outra melhoria que se pode avançar serão as soltas de velocidade serem feitas em separado para cada zona… nomeadamente em locais distintos. Aproveitando também a nova disposição que o distrito sofreu na ultima assembleia, onde algumas colectividades foram arrumadas de forma diferente quanto ás zonas onde pertencem. Geograficamente o distrito de Évora tem uma extensão de 120 km de uma ponta a outra de este para oeste… e de norte para sul 85 a 90 KM. No meio fundo não seria possível soltar por zonas porque analisando a quantidade de inscrições não justifica de forma alguma sair com dois carros nessa especialidade e o mesmo acontece em Fundo. Devem ser decisões tomadas em consciência, e apoiadas por larga maioria… os columbofilos não podem só pensar nos seus direitos… há que pensar também nos deveres.

Quanto à questão de se fazerem filmagens dos momentos de abeberamento , alimentação e da solta, é vista a sua iniciação com bons olhos, mas essa obrigatoriedade também é reveladora que não se confia nas pessoas que estão à frente do processo e quando não temos confiança o que nos resta? Se as pessoas são eleitas para os cargos devem ser honestas e cumpridoras das suas tarefas.

As filmagens poderão trazer coisas boas mas também algumas más… uma nuvem mais escura no céu é como um lance num jogo de futebol à entrada da área, dá motivo de discussão para uma semana inteira. Neste aspecto as ideias estão muito divididas. Hoje em dia o Francisco alem de presidente da direcção, ainda assumiu um papel activo no conselho Desportivo e na ajuda à coordenação das soltas e tem-se apercebido primeiro da dificuldade do cargo e depois das implicações que a tomada dessas decisões acarretam em virtude de nunca se conseguir agradar a todos… no inicio desta jornada em 2017 o elenco era vasto e competente, mas têm-se perdido alguns elementos e as funções e tarefas foram chamadas aos restantes que ficaram e por esses motivos tem sido duro e complicado levar a agua a bom porto… nomeadamente entregar pombos ate perto da meia noite ou mais tarde numa sexta feira ou sábado e depois ás 5 horas da manha estar de pé a tomar o pulso à meteorologia… para poder soltar em segurança, mas estes esforços não são reconhecidos por quem apenas entrega os pombos na colectividade e no dia seguinte aguarde serenamente pela chegada dos atletas no pombal. Há que valorizar mais os dirigentes quer ao nível das colectividades como da Associação.

Secção machos – Pombal Competição 2

Para o futuro, Francisco Ramalho espera que apareçam novas pessoas, nomeadamente aqueles que mais insatisfeitos estão, pois é chegado o momento de assumirem responsabilidades e no final do mandato e com as eleições à porta é chegada a altura certa. Não é nenhum bicho de 7 cabeças, o segredo é trabalhar em equipa, respeitar o espaço e função de cada um e o trabalho é feito da melhor maneira… Sente que já cumpriu a sua parte e sacrificou muito da sua vida pessoal e familiar, é chegado o momento de outros. Estar em casa atrás de um teclado a opinar é mais fácil do que a realidade em si… muitos dirigentes já passaram por esta associação e muitos deles fizeram muito pela columbofilia local e não só , trabalharam bem de forma eficiente e deixaram obra feita, e agora outros que apareçam. O espírito deve ser o de aceitar o desafio de trabalhar para o grupo e para os outros e esquecer o seu próprio umbigo… é difícil encontrar pessoas com este espírito.

O presidente Francisco Ramalho conta ainda com elementos muito validos no grupo de trabalho, não vai enumerar nomes, mas agradece a todos aqueles que contribuíram para o bom funcionamento desta equipa … um abraço também a todos os columbofilos do distrito, esperando que se encontrem de saúde tal como as suas famílias. um bem haja para todos e um beijo especial para a esposa que tem tido um grande estômago.

Até breve…

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: