Portugal Campeão do Mundo de Columbofilia 2018

Roberto Letras – Campeão Distrital ZO Yearlings 2020 – ACD Évora

Bom dia caros columbófilos, visitámos Roberto Letras na cidade de Évora. Um jovem apaixonado pela columbofilia desde moço novo na vila do Vimieiro, terra que conhecemos muito bem e onde temos muitas raízes. Antes de mais dizer que conhecemos o Roberto na coletividade Flôr do Alentejo na qual em sociedade com o seu pai e irmão se sagraram campeões inúmeras vezes, chegámos a ser adversários mas sempre amigos. Desde essa altura que a ideia sobre o nosso entrevistado mantém -se: é bom columbofilo, dedicado, amigo do seu amigo, bem disposto, nunca o vimos virar costas a ajudar ninguém, quer em pombos para os principiantes ou para os mais velhos que por infortúnio destruíam a equipa, como em resolver alguma situação burocrática na colectividade. Sempre o conhecemos embrenhado nas tarefas no clube, tal como acontece hoje em dia que se tornou adulto, casou e foi viver para Évora, onde desde o primeiro instante começou também a desempenhar funções como director. Na associação columbofilia do distrito de Évora desempenhou um dos cargos mais difíceis durante vários anos, presidente do conselho desportivo… quem manda soltar, tem um trabalho difícil e ingrato. Por todos estes motivos e muitos outros é sem sombra de duvidas um justo merecedor de ser reconhecido pelo seu empenho, dedicação e amor a esta causa, que é a columbofilia. Nos próximos parágrafos deixaremos um pouco da sua historia, contada na primeira pessoa.

Frontaria do pombal de voo

Iniciei-me na columbofilia em 1996 por culpa do meu irmão, um dia cheguei ao quintal dos meus avós e andava ele a tentar construir um pombal com aquela habilidade de mãos que ainda hoje lhe é característica. Comecei a ajuda-lo no projeto e acabei por me deixar apanhar pelo “bichinho”.

Frontaria do pombal de voo
Um dos reprodutores bases… esta linhagem já está na família faz vários anos

Já tínhamos pombos em casa desde que nascemos porque o nosso pai era columbófilo desde 1979 creio, mas na altura até éramos proibidos de ir ao pombal para não estragarmos os ovos e espantarmos os pombos.

Campeonato Distrital Yearlings 2020 ZO

37317Roberto Xavier Caeiro LetrasC. C. de Evora1650
59641M & A MiraC. C. Padre Manuel Lima1640
60222Piratas do CeuC. C. Padre Manuel Lima1571
57808Martinho & CaldeiraS. C. Eborense1443
54058Cachopas & MadeiraC. C. de Evora1322

Em 1996 fomos à sede perguntar o que era preciso fazer para termos anilhas e alguém na altura lá nos tratou disso, as primeiras pessoas que me deram borrachos foi o António Maria Soares e o Francisco Silva, o vicio começou com 36 pombos, fizemos 4 ou 5 provas e ficámos depenados… o pombal era num sítio muito fundo com casas muito altas em volta e os pombos levavam o tempo nos telhados e não voavam e consequentemente acabavam por se perder.

5º Melhor Pombo Distrital ZO Yearlings 2020

9511079/19 POR59641M & A MiraC. C. Padre Manuel Lima581
9138633/19 POR59641M & A MiraC. C. Padre Manuel Lima490
9009004/19 POR57808Martinho & CaldeiraS. C. Eborense459
9138448/19 POR59641M & A MiraC. C. Padre Manuel Lima454
9131117/19 POR37317Roberto Xavier Caeiro LetrasC. C. de Evora436
Um pombal idealizado pelo Roberto e que apresenta condições espetaculares

Decidimos passar os pombos para a quinta dos meus avós paternos e com isso começou em 1998 a Sociedade Sebastião Letras e Filhos. Ganhámos o primeiro campeonato em 1999, aliás 1999 foi o ano que marcou a nossa colónia além do primeiro título, foi o ano que adquirimos o Célebre Holandês sem sabermos que estávamos a adquirir aquilo que seria a base da colónia, é o responsável por inúmeros títulos individuais e coletivos.

Interior da secção de Fêmeas, voadoras

Fomos campeões Gerais pela primeira vez em 2000 e depois disso seguiram-se vários anos de muito bons resultados, não só ao nível de Clube, mas também Distritais e Nacionais.

Caros leitores , reparem no pormenor da entrada… desta forma os pombos não têm qualquer receio em abordar a entrada…fazem-no sem qualquer hesitação… parabéns pela ideia

Em 2015 vim viver para Évora, ainda andei um ano a ir tratar dos pombos todos os dias ao Vimieiro (100 kms ir e vir) mas não era a mesma coisa e em 2016 através do Loupas e graças ao Sr. Eugénio Silva que me emprestou os seus pombais, comecei a construir equipa para voar em Évora.

Secção de machos… actualmente está como enfermaria-…

Em 2017 foi o ano de Estreia no Clube Columbófilo de Évora, devo ter ouvido mais de 1000x “estás enganado, isto não é o Vimieiro”, enganados estavam alguns, no Vimieiro também há bons columbófilos, para sorte de alguns só veio um para Évora, mas há lá mais. Tenho saudades de escovar o Balta, o Presidente, o Fernando, o Rogério, aprendi com todos e era esta a columbofilia que me trazia motivado, agora é diferente.

Um corredor…bastante amplo… muito bom

Quando comecei e em Évora, talvez fruto da conversa que isto não era o Vimieiro, estava muito apreensivo, “será que vou estar à altura?” “Será que os pombos vão estar à altura?” estivemos, começamos com um modesto 4º Lugar na Velocidade só com crianças, no ano seguinte um ano que ficará mais marcado pela perda familiar do que pelas vitorias fui campeão de Meio Fundo, 3º de Velocidade, Vice-Campeão da Geral. Acabou a época fui assaltado e tive que mudar de instalações, comprei casa e construi novo pombal, aqui espero que seja para durar.

Primeiro ano após o assalto, o ano Covid, pombal novo cheio de pormenores a serem ajustados e sem nada fazer para isso acabei por ser Campeão Distrital de Yarlings Zona Oeste com pombos de 2ª escolha pois a equipa principal fazia Velocidade e Meio Fundo.

Pombal de reprodutores

Durante a visita ao Roberto tivemos a oportunidade de o parabenizar pelas excelentes instalações… este pombal de reprodução é algo espectacular… 13 boxes individuais, que garantem a paternidade dos borrachos… cada uma preparada para cada casal poder fazer a sua criação sem grandes desgaste da “caça ao ninho” e permite tirar mais rapidamente um numero superior de filhos a cada casal e por outro lado permite trocar parceiros sem brigas inúteis que muitas vezes resultam em ovos partidos ou borrachos mutilados. Sem contar o facto de ter a zona das rações e suplementos ali bem junto… com tudo à mão… parabéns, esta secção fica no rés do chão e o pombal de voo no primeiro andar.

Os pombos bons continuam a ser os Holandeses, os Cradoks do saudoso Júlio Albuquerque, os Van Loon do Paulo Franco, e alguns descendentes frutos das últimas aquisições ao Sol Nascente, ao Paulo Campos, ao Hélder Negalho entre outros.

Não sou metódico, trato de acordo com as necessidades da colónia, alimento bem, suplemento pouco, seleciono muito, ás vezes alguns não fazem o trajeto entre a reprodução e o piso de cima, desde que nascem até que morrem ou que se perdem são pombos, a idade para nada interessa.

Há 4 pessoas a quem devo tudo nos pombos , 1º o meu irmão Carlos que me meteu nisto e depois saiu de fininho e deixou-me a babata nas mãos, ao meu Pai, o Homem com a paixão mais estranha por pombos que eu já conheci até hoje, trabalha que nem um mouro para poder ter a  colónia que tem mas depois mete tudo a perder de um dia para o outro, sem ele não tinha conquistado os títulos que conquistei antes de vir para Évora e mesmo depois em Évora e ele devo tudo o que tenho feito, tem como principal defeito ser excessivamente metódico, cria métodos que depois não consegue cumprir. A 3ª pessoa o meu avô, bastou uma vez “ninguém é obrigado a ter, mas se tem é obrigado a cuidar” isso levou-me aos resultados, não sou melhor que ninguém, trabalho, seleciono e dedico-me mais que a maioria. Por último, mas em 1º lugar e porque sem estrutura e apoio familiar não se consegue nada, a Ana e o Filipe pelo tempo que passam sem mim por culpa dos pombos.

Terminar este artigo não foi fácil… saímos de Évora com o material pronto para edição…e à chegada ao escritório de edição do Columbofilia Online, uma das maquinas fotográficas avariou… algum do material recolhido ficou perdido… a edição a precisar ser publicada e nada de fotos… no dia seguinte tínhamos uma saída para o sul do país e no regresso tudo combinado, para no final da tarde, refazermos algumas das fotos… eis que o Roberto fica retido no trabalho, já nós estávamos parados à sua porta… a noite alongou-se… conseguimos finalmente fazer tudo… estragámos o jantar ao homem e à sua família e regressamos a Fernão Ferro quase de madrugada… enfim mais um périplo pelo Alentejo que terminou já bem tarde… mas só assim ficava o artigo completo…. parabéns ao Roberto pela excelente colónia que tem… esperamos com toda a certeza possível, que os títulos continuem a aparecer… boa sorte… e para todos nós por agora é mantermo-nos calmos e saudáveis… um abraço e até breve…

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: