Portugal Campeão do Mundo de Columbofilia 2018

Vítor Relvas & Flávio Relvas – Campeões Fundo Distrital Zona C – ACD Lisboa

Vítor Relvas homem de 57 anos, columbófilo a concorrer em Torres Vedras, da ACD Lisboa, natural de Reguengos de Monsaraz, um alentejano de gema, faz sociedade com o seu filho Flávio Relvas e contam com a preciosa ajuda da esposa. O Vítor, veio com dois anos para Lisboa para a região da Amadora. Filho de José António Relvas, que já era columbófilo no Alentejo, na pacata aldeola da Caridade, Reguengos. De pequeno, com 7 ou 8 anos começou a acompanhar o seu pai e dai para cá nunca mais deixou de conviver com os pombos. Da Amadora, na zona da Falagueira, bairro da Mina, onde concorria com o seu irmão e seu pai, saiu para Torres Vedras, constrói o pombal  em 2002 e ai permanece desde essa altura. Nos primeiros anos em Lisboa  ganharam bem, vencendo todos os campeonatos em disputa, a encestar na Amadora, e agora também,  os títulos na nova morada continuam a surgir.

Pombal Fêmeas

IMG_1098.JPG

Ao primeiro ano em Torres só com borrachos fica em 4º lugar de Meio Fundo e vence a taça de eliminatórias dessa especialidade, decorria o ano de 2003. No ano seguinte chegou a andar na frente do campeonato  Geral,  perde a liderança quase no final de campanha. Conhecia mal a equipa e era um grupo jovem. Não se sagra campeão nesse ano por pouco. Vários anos passaram e andou sempre na disputa dos campeonatos, sendo que o bichinho caia sempre com mais força quando se falava na longa distancia.

IMG_1101.JPG

Os anos dourados são precisamente 2016, 2017 e 2018, foi 3 campanhas consecutivas campeão de fundo e a cereja no topo do bolo foi o ano passado quando venceu o titulo de campeão distrital Fundo da sua zona.

 

1884 relvas.jpg

Os principais pombos que fazem a diferença nas provas de longa distancia, por um lado são os pretos, dos quais passamos a falar um pouco. A mãe das pretas é uma pomba que apenas voou um ano e a pior classificação que fez foi um 6º lugar e foi de meio fundo, depois destas prestações foi parada de imediato para a reprodução porque a linha estava descontinuada e dava sinal de ser uma craque. Estes pombos vêm de um tio do Vitor, o Anselmo Relvas do Cacem. A determinada altura o tio emprestou lhe um preto de linhas antigas, pombos que venciam frequentemente anilhas de ouro e provas de Meio Fundo. Este preto foi cruzado com uma fêmea azul de um columbófilo da Amadora, de linhas de pombos vencedores de provas de longa distancia. Este é o casal de onde parte esta linhagem. A titulo de exemplo esta linhagem numa celebre prova já a concorrer em Torres Vedras, o Vitor encestou uma equipa praticamente toda ela desta linhagem e o seu 6º pombo faz o 14º em Torres, nesta fortíssima coletividade: 1º , 4º 8º, 9º, 13º e 14º. Os pombos que fazem 1º e 4º são precisamente dois filhos da actual preta Base.

Classificação Geral Concorrentes – Fundo – 2018 – Sociedade Columbófila Torres Vedras

1 50882 VITOR RELVAS & FLAVIO RELVAS 2583
2 30813 LUIS FILIPE SANTOS REIS 2551
3 57833 POMBAL SALVADOR 2506
4 48530 ASAS DO OESTE 2470
5 54494 AGOSTINHO, SANTOS & SARAIVA 2401

Outra linha que faz a diferença no Fundo são os “Picarços”. Estes pombos aparecem assim: ainda na amadora os Relvas tinham um sócio, sócio pagante, o sr Gonçalves, que gostava muito de pombos mas não podia ter pombal e frequentemente ia a casa dos nossos entrevistados assistir ás chegadas. Certo dia este sócio arranjou um borracho de Lisboa que nunca se chegou a saber muito bem a sua origem, mas era um pombo pedrado mosquiado com uma setinhas nos olhos e trazia a informação que era linha Van Damme. Nunca vou, ficou parado e foi cruzado com umas fêmeas da linha janssen, pombas que reproduziam os Ardosias, cinzas, pombos cultivados na Amadora, e crusado a uns outros, uns pombos Belgas que na altura eram a base nesse pombal na Falagueira e começaram a nascer pombos Picarços, com pintas brancas. São uns pombos muito bons a nível físico e mental, na mão são pombos muito apreciados nas exposições standart e depois a voar são muito interessantes.

Frontaria Pombal Voadores

IMG_1105.JPG

O macho base desta linha Van Damme certo e determinado dia, fugiu e não estando aduzido desapareceu, era um dos melhores reprodutores de sempre a passar nesta casa. Deixou uma geração de pombos a voar e a reproduzir. Ainda hoje e aquando da nossa visita podemos contemplar que num pombal de reprodutores com cerca de 10, 12 casais encontramos 4 ou 6 pombos ainda filhos ou netos dele, e a reproduzirem muito bem.

Classificação Distrital concorrentes Fundo 2018 – Zona C

IMG_0638.JPG

50882 Vitor Relvas & Flavio Relvas Torres Vedras 5876
59143 Anibal Fortuna, Filho, Batista Queluz 5856
10540 Jose Luis Santos Conceicao Amadora-Queluz 5768
55983 Araujos & Lino Malveira 5720
58137 Pombal Azul Ericeira 5679

IMG_0667.JPG

Na velocidade e Meio Fundo a aposta é em pombos diferentes, são Janssens, Grondelars, ainda pombos do Alexandre Mendes Gordo, Van Loons, tudo pombos novos que chegaram há pouco e estão a ser seleccionados, para as especialidades que o columbófilo tem mais dificuldade.

Pombal machos com os ninhos tapados…

IMG_1107.JPG

Mas a melhor aquisição da colónia é a Maria João, esposa do Vitor, é ela que normalmente voa os pombos e faz grande parte das tarefas diárias, sem esta ajuda nenhum titulo teria sido possível. Tivemos o prazer de conhecer esta senhora e conviver um pouco com ela. Gente de trabalho e com grande dedicação e amor ao pombo correio.

Chão Pombal machos…

IMG_1111.JPG

Aos pombos da casa muito sangue já foi dado, uns com mais e outros com menos sucesso, podemos citar pombos ou linhagens que entraram e vieram acrescentar alguma qualidade: “Brutus” via Luís Eloi, vindo do CIC, Dark Eijerkamp base do grande columbófilo alemão Martin Stefl, Silver Shadow, Kannibal, pombal Salvador etc etc

“A Menina”1897 relvas.jpg

Pombal machos já com os ninhos a descoberto…

IMG_1112.JPGO amigo Relvas foi de uma simpatia extrema. Visitámos primeiramente o pombal de voadores, manuseamos a maioria dos pombos, pudemos apreciar os vários atletas e ouvir a historia das sua façanhas e das suas linhagens, depois passamos aos reprodutores e a historia repetiu.se com uma frontalidade e naturalidade que parecíamos estar em casa. Sentimos  muito bem, apreciamos alguns pombos de enorme qualidade… pareciam que tinham passado todos na mesma forma. Uma equipa talhada para voar a longa distancia. Os columbofilos procuram actualmente continuar a apostar nessas provas mas também introduzir alguns pombos para a curta distancia, mas até ver a forma esta muito direccionada para muitos Quilómetros de voo.

IMG_1115.JPG

A alimentação dos seus atletas, como não tem pombais para poder dividir os atletas que fazem o Fundo da Velocidade e Meio Fundo, tem de encontrar um meio termo, nem dar de mais ás pombas das provas mais curtas, e não faltar a “gasolina” aos de Fundo, é um jogo que tem de ser pensado diariamente e não é fácil acertar, em caso de duvida, vai um pouco a mais…

Pombal Reprodução

IMG_1119.JPG

O descanso na chegada dos concursos depende das horas voadas. Descansam o máximo 3 dias se a prova foi muito dura, mas no final desse período retomam o voo diário de uma hora, e treinam assim sem paragem ate ao fim de semana seguinte. No dia que as suas companheiras vão para velocidade ou meio fundo, momento de  encestamento, é dia de descanso para todos, no dia seguinte enquanto uns voam para casa outros treinam em casa e vão assim até quinta feira seguinte, dia que voltam a ser encestadas para Fundo. Voam uma única vez ao dia e nunca passam a hora e 20 mn.

1894 relvas.jpg

Interior do Pombal onde nascem os craques…

IMG_1121.JPG

Secção Fêmeas Reprodutoras…

IMG_1128.JPG

De Reguengos da casa do seu primo Luís Godinho também chegaram alguns pombos de excelente qualidade. Pombos a vencer primeiros de Zona e já actualmente a reproduzir muito bem.

400 relvas.jpg

Vista Geral Pombal reprodutores

IMG_1126.JPG

Equipa já completa… Vítor Relvas, a esposa e Flávio Relvas, o filho

IMG_1130.JPG

Coletividade Torres Vedras…uma catedral da columbofilia Lisboeta…

IMG_1094.JPG

A Sociedade Columbófila de Torres Vedras nasceu em 8 de Dezembro de 1947.              O seu principal fundador foi António Borba, já falecido, o qual, na altura já possuía pombos-correio. António Borba começou, então, a oferecer pombos-correio aos seus amigos. Instigado por um seu familiar residente em Lisboa, que também criava pombos-correio e conjuntamente com aqueles amigos a quem tinha ofertado estas aves, resolveu fundar a Sociedade Columbófila de Torres Vedras, que teve a sua primeira sede na Rua Tenente Valadim, onde se manteve até Setembro de 1963, depois passou para a Rua Dr. Aleixo Ferreira, onde se manteve até 2004. Várias pessoas tiveram papel preponderante na continuidade da iniciativa de António Borba, tais como Alfredo Saraiva, José dos Santos, Aníbal dos Santos Gaspar, Acácio dos Santos, Valdemar Pereira, Manuel Pereira e tantos outros.

IMG_1088.JPG

        Criada a coletividade, começaram os seus associados a entrar em competição local, embora com dificuldades, que foram muitas.                                                                Esta coletividade já organizou ao longo da sua vida dez exposições, sendo três delas a nível nacional. Atualmente tem a sua sede própria no Choupal, Rua da Sociedade Columbófila, edifício magnifico, inaugurado em 08 de Dezembro de 2000 pelo Presidente da Câmara, Dr. Carlos Manuel Soares Miguel.

IMG_1091.JPG

       Somos uma das principais Coletividades inscritas na Associação Columbófila do Distrito de Lisboa, associada na Federação Portuguesa de Columbofilia. Participamos em Campanhas Desportivas da Associação, da Federação e em Campeonatos Internos Próprios, recenseando cerca de 3.000 atletas, Pombos-Correio anualmente. Os nossos atletas têm-se distinguido ao longo dos anos, obtendo excelentes classificações a nível Nacional e Internacional, sendo de referir um 1º lugar obtido em 2015 na categoria de Standart Olímpico apurado para integrar a Seleção Portuguesa nas Olimpíadas 2015 a realizar em Budapeste na Hungria.(site loftgest Coletividade Torres Vedras)

IMG_1090.JPG

Das bases que conhecemos: Pretos, Pigarços Linha do Dark do Martin Stefl e do kannibal, conseguimos aperceber da perspicácia destes columbofilos em cultivar dentro da mesma especialidade, que é o fundo,  pombos para Fundos mais rápidos, fundos Normais e depois as grandes maratonas…isto é de um conhecimento do que é fazer um campeonato a serio de fundo muito profundo. Parabéns pela excelente colónia. Votos de muitos sucessos e que continuem a conseguir alcançar os tão almejados títulos. Uma tarde muito bem passada…

destaque relvas 2019

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: